Paquistão pede que embaixador evite propaganda

O Paquistão pediu ao embaixador do Taleban para parar de usar a embaixada para fazer propaganda depois de uma série de entrevistas coletivas transmitidas para todo o mundo, informou hoje o Ministério do Exterior. O embaixador Abdul Salam Zaeef - o mais visível porta-voz da milícia islâmica - foi convocado ao Ministério na terça-feira e advertido para não usar sua embaixada contra qualquer terceiro país, segundo o porta-voz da chancelaria Aziz Ahmed Khan. Khan não especificou qualquer terceiro país mas ele provavelmente se referia aos Estados Unidos - aliado do Paquistão na campanha internacional contra o terrorismo. Zaeef estava promovendo freqüentes entrevistas coletivas nas quais acusava os Estados Unidos de "terrorismo" e "genocídio" em seus bombardeios no Afeganistão. Zaeef não convocou nenhuma entrevista coletiva desde sua reunião no Ministério do Exterior. "Sentimos a necessidade de lembrá-lo" das regras diplomáticas, afirmou Khan a repórteres. "Ele ouviu e é isso". Não ficou claro se as autoridades paquistanesas ordenaram Zaeef a não promover nenhuma entrevista coletiva ou se foi pedido simplesmente para ele evitar determinados assuntos. Suas entrevistas coletivas vinham sendo transmitidas pela CNN e suas declarações eram publicadas em todo o mundo. Um funcionário da Embaixada afegã, a única representação diplomática do Taleban no exterior, disse hoje que pediram a Zaeef para reduzir seus pronunciamentos públicos. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.