Paquistão pode acusar americanos presos de terrorismo

A polícia do Paquistão afirmou hoje que planeja pedir ao tribunal que acuse de terrorismo os cinco jovens norte-americanos detidos no início de dezembro. "Estamos certos de que esses cinco norte-americanos queriam realizar ataques no Paquistão e vamos pedir prisão perpétua para eles", disse Tahir Gujar, investigador da cidade paquistanesa de Sargodha.

AE-AP, Agencia Estado

31 de dezembro de 2009 | 18h29

Os jovens muçulmanos, originários da região de Washington, capital dos Estados Unidos, foram capturados em Sargodha, a leste do país. O caso aumentou os temores de que ocidentais estejam viajando para o Paquistão para se juntar a grupos extremistas.

Segundo Gujar, a polícia quase concluiu sua investigação e que os homens devem comparecer a um tribunal antiterrorista da cidade no dia 4 de janeiro. Sob o sistema judiciário paquistanês, a polícia recomendou as acusações durante a audiência no tribunal realizada na segunda-feira. Porém, o tribunal pode não acusá-los imediatamente e os cinco devem ter tempo para preparar suas defesas.

Gujar não disse quais eram os alvos dos homens de acordo com a polícia. As autoridades disseram que os cinco rapazes tinham um mapa da barragem de Chashma, um complexo que inclui um reservatório de água e outras estruturas na populosa província de Punjab. Ela está localizada perto de instalações nucleares, a cerca de 200 quilômetros a sudeste da capital, Islamabad.

A polícia paquistanesa e funcionários do governo fizeram uma série de alegações, algumas vezes contraditórias, sobre as intenções dos cinco, enquanto funcionários norte-americanos têm sido bem mais cautelosos embora eles também queiram acusá-los.

Funcionários dos dois países disseram que acreditam que os homens serão, eventualmente, deportados para os Estados Unidos, mas acusá-los no Paquistão pode atrasar o processo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.