Paquistão prende líderes islâmicos para evitar protestos

O Paquistão mandou prender três clérigos muçulmanos que são apontados como organizadores dos protestos anti-EUA dos últimos dias. Eles ficarão presos por três meses. Foi ordenada a prisão de Maulana Fazal-ur Rehman, líder do partido religioso Jamiat Ulema-e-Islam (Partido dos Clérigos Islâmicos), que já se encontrava em prisão domiciliar. Samiu Haq, líder pró-Taleban do Conselho de Defesa do Afeganistão, também foi preso, assim como And Azam Tariq, chefe do partido islâmico Sipah-e-Sahaba. As prisões acontecem um dia depois de milhares de pessoas terem realizado um violento protesto na cidade de Quetta, que fica perto da fronteira com o Afeganistão. Os manifestantes protestavam contra os ataques anglo-americanos ao território afegão. Hoje, novas demonstrações de violência aconteceram em Quetta, quando duas pessoas tentaram incendiar uma delegacia de polícia e foram mortas a tiros. Um outro manifestante foi ferido e estava sendo tratado em um hospital de Quetta, informou a polícia. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.