Paquistão prende suspeito de atentados em Londres

A polícia paquistanesa prendeu hoje sete pessoas acusadas de pertencer à rede terrorista Al-Qaeda, entre elas, Zabi ul Taifi, de nacionalidade saudita, acusado de ligações com os ataques de 2005 ao sistema de transportes de Londres. As prisões aconteceram num incursão nas proximidades de Peshawar, a principal cidade do noroeste do país, lançada a partir de um alerta dos Estados Unidos, afirmaram hoje dois funcionários do setor de segurança do Paquistão. Os oficiais pediram anonimato porque não têm autorização para falar com a mídia.Agentes da inteligência dos Estados Unidos assistiram a captura de dentro de um carro que estava nas proximidades, disseram os oficiais. Ainda de acordo com eles, um avião-espião não identificado e três helicópteros sobrevoaram a área durante a incursão no subúrbio da cidade, um centro de atividade militante.O ministro do Interior do Paquistão, Rehman Malik, confirmou que sete pessoas foram detidas. O ministro disse que os detidos incluem um estrangeiro e seis paquistaneses. Malik disse apenas que há "alvos de alto valor" entre eles, mas não forneceu detalhes.As prisões parecem ser um novo golpe contra a Al-Qaeda no Paquistão, grupo que já está sob ataques de mísseis em regiões do país na fronteira com o Afeganistão. A fronteira afegã é o abrigo de grande quantidade de militantes da Al-Qaeda e do Taleban e, acredita-se, é o provável local onde está escondido Osama bin Laden e outros líderes extremistas.Os funcionários também deram a entender que Islamabad e Washington estão cooperando secretamente para atingir militantes da Al-Qaeda e do Taleban escondidos perto da fronteira afegã, apesar das tensões sobre os ataques com mísseis, sobre os quais o Paquistão tem protestado.As fontes não especificaram que papel Taifi supostamente teve no planejamento dos ataques de 2005 em Londres, que mataram 52 pessoas. "Nós temos razões para acreditar que pegamos o homem certo que teve participação nos ataques de 2005 em Londres", disse um funcionário que afirmou ter recebido a informação de agentes de segurança em Peshawar.A porta-voz da Embaixada britânica, Jennifer Wilkes, disse apenas que a Grã-Bretanha "estava tentando verificar" a alegação de que Taifi esteve envolvido com os ataques em Londres. Os suspeitos estão sob custódia do Paquistão e serão interrogados hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.