Paquistão promete eleições legislativas para outubro

O presidente Pervez Musharraf anunciou nesta quinta-feira que as eleições para os Legislativos nacional e provincial serão realizadas em outubro, pondo fim a três anos de governo militar. Musharraf fez o anúncio em uma conferência sobre desenvolvimento humano à qual compareceu o secretário-geral da ONU, Kofi Annan. O general Musharraf, que chegou ao poder em um golpe militar em 1999, prometeu que as eleições serão livres e imparciais. No entanto, ele disse que o Paquistão terá uma democracia "de acordo com nossas próprias necessidades". Musharraf havia prometido acatar a decisão da Suprema Corte que lhe deu três anos, a partir da data do golpe, para voltar ao governo civil. O atual mandatário continuará como presidente e comandante das Forças Armadas, a instituição dominante no país. Ao subir ao poder em 12 de outubro de 1999, Musharraf disse ter planos de permanecer no governo por cinco anos após o novo Parlamento ser empossado. O pleito será realizado sob a nova lei eleitoral anunciada na semana passada, segundo a qual toda a população paquistanesa, de 145 milhões, poderá votar para os mesmos candidatos. Musharraf também anunciou planos de aumentar o número de cadeiras nos Parlamentos nacional e provincial para estimular a democracia num país com uma longa história de governos autoritários O anúncio das próximas eleições foi parte de uma série de dramáticas mudanças adotas por Musharraf desde que ele abandonou seus aliados do Taleban no Afeganistão após os ataques terroristas de 11 de setembro e apoiar a campanha liderada pelos EUA de luta contra o terrorismo. Tal decisão provocou fortes críticas por parte dos grupos extremistas islâmicos, incluindo dois que são acusados pela Índia de terem perpetrado o ataque contra o Parlamento indiano em 13 de dezembro.

Agencia Estado,

24 Janeiro 2002 | 13h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.