Paquistão promete expulsar militantes do Talebã

Exército diz que vai varrer rebeldes 'linha-dura' do Vale do Swat, depois de retomar controle na capital da região.

BBC Brasil, BBC

30 de maio de 2009 | 22h06

O Exército do Paquistão disse estar se preparando para varrer os militantes "linha-dura" do Talebã do Vale do Swat, depois de ter anunciado neste sábado que retomou o controle da maior cidade da região, Mingora, que estava nas mãos dos militantes.

"Nós estamos à procura dos líderes e vamos dar um jeito em todos os militantes no vale", afirmou à BBC o porta-voz militar general Athar Abbas.

O general também disse que os combates continuam nos arredores da cidade, mas assegurou que o centro está sob controle.

Ainda segundo o porta-voz do Exército paquistanês, serviços essenciais estão sendo restabelecidos em Mingora, que antes do conflito tinha 300 mil moradores. Médicos voltaram para reabrir o hospital principal, o fornecimento de gás já foi retomado e água deve estar disponível em breve, informou o general Abbas. Já a energia elétrica deve levar pelo menos duas semanas para voltar a funcionar.

Como jornalistas estão proibidos de entrar na cidade, é impossível verificar de forma independente a situação atual.

Violência

Os combates na região se intensificaram há uma semana, quando o Exército aumentou sua presença na cidade, caçando militantes do Talebã de casa em casa.

Centenas de pessoas morreram e mais de 2 milhões fugiram do Vale do Swat desde o começo da ofensiva contra o Talebã, no dia 2 de maio, depois que um acordo de paz fracassou e os militantes passaram a ampliar sua área de influência no noroeste do Paquistão.

Na quarta-feira, pelo menos 24 pessoas morreram em um ataque a alvosmilitares na cidade de Lahore. O Talebã assumiu a autoria do atentado,que disse ser uma represália contra as operações em Swat e prometeunovos ataques.

Recompensa

O Paquistão anunciou na sexta-feira que aumentou em mais de 10 vezes a recompensa pelo chefe do Talebã na região tribal do Vale do Swat, perto da fronteira afegã.

O governo do país prometeu pagar US$ 600 mil pelo clérigo Maulana Fazlullah, vivo ou morto.

Outros 21 líderes do grupo também estão com a cabeça a prêmio.

Foi prometida uma recompensa de US$ 5 milhões pela captura do chefe do Talebã no Paquistão, Baitullah Mehsud.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
paquistaoswattaleba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.