Paquistão quer armar milícias

Autoridades paquistanesas revelaram ontem um plano para armar milícias de povoados na Província da Fronteira Noroeste com 30 mil rifles para proteger a região, cada vez mais sitiada por insurgentes do Taleban e da Al-Qaeda. As milícias ajudariam a criar uma unidade de elite para ajudar no combate ao terrorismo - estratégia já utilizada pelos EUA no Iraque. Washington quer implementar um plano semelhante no Afeganistão para lutar contra radicais islâmicos. Haider Khan Hoti, chefe de governo da província, afirmou que as autoridades distribuiriam armas apenas entre "grupos e indivíduos pacíficos" para que os cidadãos ajudassem na segurança de seus vilarejos. Segundo Hoti, policiais fiscalizariam o uso das armas e as confiscariam se não estivessem sendo usadas contra "terroristas e arruaceiros". No entanto, o Ministério do Interior e o Exército afirmaram que não foram informados do novo plano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.