Paquistão quer Ásia do Sul livre de armas nucleares

O presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari, afirmou à rival Índia que ele não será o primeiro a usar bombas atômicas em qualquer conflito futuro e propôs a idéia de uma Ásia do Sul livre de armas nucleares. A doutrina nuclear paquistanesa não contém uma cláusula afirmando que o país não será o primeiro a se valer de armas em um conflito, ao contrário da doutrina indiana. Entretanto, não ficou claro se os comentários de Zardari representam uma mudança formal na política.De qualquer forma, a declaração foi mais um sinal da mudança de tom com relação à Índia, que tradicionalmente é vista como o principal inimigo do Paquistão. Zardari fez os comentários durante um evento organizado pelo jornal indiano The Hindustan Times por videoconferência.Questionado por um estudante sobre se o Paquistão estaria preparado para dizer que não usaria uma arma nuclear primeiro, Zardari disse: "Sem dúvida, eu sou contra guerras no geral". O moderador repetiu a questão, ressaltando que sua resposta era uma "manchete". Zardari deu a mesma resposta: "Definitivamente".O presidente paquistanês propôs a idéia de uma Ásia do Sul sem armas nucleares, afirmando que pode convencer parlamentares a apoiar este plano. "Eu tenho certeza que posso fazer meu Parlamento concordar com isso. Vocês podem dizer o mesmo?", questionou os presentes no evento, incluindo autoridades do governo indiano e líderes empresariais. Zardari não deu mais detalhes sobre o plano, que já havia sido proposto pelo Paquistão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.