Paquistão reforça segurança para o enterro de Ghazi

O enterro do clérigo radical Rasheed Ghazi, morto na terça-feira durante o assalto à Mesquita Vermelha de Islamabad, acontece nesta quinta-feira em Rojhan Abdullah

Efe

12 Julho 2007 | 04h35

As autoridades do Paquistão reforçaram nesta quinta-feira a segurança na área de Rojhan Mazari, no centro do país, para o enterro do clérigo radical Rasheed Ghazi, morto na terça-feira durante o assalto à Mesquita Vermelha de Islamabad.O corpo de Ghazi, dirigente dos radicais entrincheirados no templo, foi levado ontem de helicóptero à sua terra natal para ser enterrado. O seu irmão e líder máximo da Mesquita Vermelha, Abdul Aziz, detido quando tentava fugir do local, recebeu permissão para assistir à cerimônia.O enterro deve acontecer hoje em Rojhan Abdullah, na presença dos parentes e seguidores de Ghazi. Em Islamabad serão enterrados alguns dos mortos na operação que começou na madrugada de terça-feira e terminou ontem.O Exército informou a morte de apenas 10 militares e 73 radicais armados. Mas uma fonte dos serviços de inteligência disse à agência Efe que pelo menos 286 corpos foram retirados da Mesquita Vermelha.A fonte, que pediu o anonimato, disse que os corpos foram levados a um frigorífico privado, a cerca de 20 quilômetros, e que seriam enterrados de madrugada, num cemitério da capital.Antes do assalto, o governo sustentou que na mesquita resistiam dezenas de radicais armados, que usava como reféns 300 a 500 mulheres e crianças. Mas depois só informou a libertação, rendição ou detenção de aproximadamente 80 pessoas.O Ministério do Interior confirmou as análises de 73 corpos. Ontem foram enterrados nove dos soldados mortos na operação.

Mais conteúdo sobre:
paquistão, mesquita, enterro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.