Paquistão suspende 2 canais de TV afegãos

O Paquistão suspendeu nesta quinta-feira as transmissões de dois canais afegãos de televisão e proibiu as operadoras de TV a cabo de abrir o sinal porque as emissoras acusaram as forças paquistanesas de segurança de tentar assassinar um político afegão no último fim de semana, informou um funcionário do governo do Paquistão em Quetta. Trata-se do mais recente desdobramento de uma guerra de palavras entre os governos de Paquistão e Afeganistão em meio ao aumento da violência provocada por extremistas islâmicos e milícias tribais nos dois lados da fronteira compartilhada por esses vizinhos. Os canais Tolo TV e Ariana TV estão proibidos de ir ao ar no Paquistão porque "estão envolvidos em propaganda negativa" contra Islamabad, assegurou Abdul Jalal Khan, um funcionário do órgão regulador de mídia no país. Os canais "utilizaram linguagem venenosa e não diplomática contra o Paquistão em seus noticiários", declarou Khan em Quetta, capital da província paquistanesa de Baluquistão, onde vivem muitos refugiados afegãos. As operadoras de televisão a cabo fecharam nesta quinta-feira o sinal das duas emissoras. Segundo Khan, ambas acusaram os serviços secretos paquistaneses de participação num atentado suicida contra um importante político afegão em Cabul no último domingo. O político sobreviveu ao ataque, mas quatro pessoas morreram. Islamabad rejeita as acusações de envolvimento no crime. A Tolo TV, privada, emitiu um comunicado por meio do qual denuncia a proibição e afirma que "sempre tenta apresentar reportagens equilibradas em temas nacionais, regionais e internacionais". Ainda não havia reação por parte da Ariana TV. Mohammed Shahid, porta-voz do órgão regulador paquistanês em Islamabad, recusou-se a confirmar a proibição, mas disse que as emissoras não pediram permissão para transmitir sua programação no Paquistão.

Agencia Estado,

16 Março 2006 | 11h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.