Paquistão suspende ofensiva em região tribal

5.000 famílias do Waziristão do Sul receberam alimentos e outros bens por parte do Exército

EFE, LAHORE

02 de fevereiro de 2008 | 13h12

LAHORE - O Exército paquistanês anunciou neste sábado, 1º, que suspendeu temporariamente sua ofensiva militar na conflituosa região tribal do Waziristão do Sul para iniciar um diálogo com os fundamentalistas desta região fronteiriça com o Afeganistão.

Segundo o porta-voz do Exército Malik Naeem, citado pela emissora privada "Geo TV", as negociações já estão em andamento.

No entanto, ele advertiu que se as conversas forem infrutíferas, as tropas lançarão uma operação em grande escala na região.

Naeem assinalou que uma área de 500 quilômetros quadrados foi "limpada" de insurgentes, mas precisou que esta operação foi suspensa para dialogar com os islamitas.

O porta-voz assegurou que 5.000 famílias do Waziristão do Sul, situado no cinto tribal paquistanês, receberam alimentos e outros bens por parte do Exército.

O Governo paquistanês suspeita que esta região sirva de refúgio para o líder talibã Baitullah Mehsud, acusado de matar a ex-primeira-ministra Benazir Bhutto em um atentado.

Segundo uma fonte dos serviços de inteligência paquistaneses, o líder dos talibãs, o mulá Omar, decidiu "destituir" em janeiro Mehsud como dirigente do movimento fundamentalista no Paquistão.

O mulá Omar afastou Mehsud da liderança ao considerar que as forças insurgentes devem se concentrar em combater às tropas da Otan no Afeganistão e não o Exército do Paquistão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.