Paquistão tem greve protesto contra caricaturas de Maomé

Comércio e transportes são afetados pela paralisação na cidade de Karachi contra a republicação do desenho

Efe,

07 de março de 2008 | 11h45

Várias organizações islâmicas paquistanesas convocaram para nesta sexta-feira, 7, uma greve na cidade de Karachi em protesto contra a nova publicação de charges do profeta Maomé na imprensa dinamarquesa, informou a emissora privada Geo TV. A jornada de protesto foi convocada principalmente pela juventude do partido religioso Jamaat-e-Islami, mas outras associações do município apoiaram a iniciativa.   A maioria dos estabelecimentos da cidade, os shoppings e os mercados foram fechados, mas nas áreas industriais continua havendo atividade. Os transportes foram afetados pela greve.   Os organizadores dos protestos devem se manifestar em frente ao Clube da Imprensa de Karachi para mostrar seu descontentamento pela nova publicação de charges no dia 13 de fevereiro. As charges de Maomé voltaram a ser publicadas por 16 jornais da Dinamarca depois que foi descoberto um plano para matar um dos cartunistas.   O artista ameaçado havia desenhado Maomé com uma bomba com pavio presa sobre seu turbante. A publicação destas charges causou em 2006 uma onda de protestos no mundo muçulmano que deixou cerca de 100 mortos.

Tudo o que sabemos sobre:
MaoméchargesPaquistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.