Paquistão testa com sucesso míssil com capacidade nuclear

Chefe das Forças Armadas diz que o país não constrói mísseis contra as potências vizinhas

Efe,

25 de janeiro de 2008 | 05h20

O Paquistão testou nesta sexta-feira, 25, "com sucesso" o míssil "Shaheen-1", de 700 quilômetros de alcance e capacidade nuclear, assegurou em comunicado o comando militar paquistanês. O Grupo Estratégico de Mísseis (SMG) conduziu o teste deste míssil, "um sistema usado rotineiramente durante os treinos" de uma parte do Exército paquistanês, segundo a nota. O lançamento do míssil foi inspecionado pelo chefe das Forças Armadas, Ashfaq Pervez Kiyani, que explicou a suas tropas que o Paquistão desenvolveu uma "forte capacidade de dissuasão nuclear", e pediu ao SMG que continue com seu trabalho, dirigido a "dissuadir as agressões", segundo o comunicado. Kiyani afirmou que o Paquistão não constrói mísseis contra as potências vizinhas, e assegurou que o arsenal nuclear do país tem o propósito apenas de inibir qualquer ataque. O chefe das Forças Armadas afirmou que o arsenal atômico paquistanês está em mãos seguras e sob "mecanismos de controle", e elogiou as tropas de seu país, "muito profissionais, motivadas e capazes de proteger as armas nucleares". Kiyani advertiu que criar um alarme "irresponsável" sobre este aspecto poderia ser "contraproducente", segundo o comunicado. Paquistão e a Índia mantêm uma corrida armamentista com constantes testes de mísseis nucleares.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoteste nuclearmíssil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.