Paquistão vai reprimir separatistas da Caxemira

Ao encerrar visita oficial à China, o presidente do Paquistão, Pervez Musharraf, disse hoje que vai agir contra os separatistas da Caxemira acusados pela Índia do atentado do dia 13 contra o Parlamento indiano, que deixou 14 mortos e 17 feridos. O governo indiano reiterou na ocasião acusações de que o paquistanês de "estimula o terrorismo separatista", exigiu o desmantelamento dos grupos separatistas na Caxemira paquistanesa, a prisão dos líderes e o congelamento de seus fundos bancários.O Paquistão pediu evidências à Índia, que, em resposta, reforçou as fronteiras com tropas e infantaria mecanizada e retirou seu embaixador em Islamabad. Desde então, intensificaram-se conflitos entre os dois países ao longo das fronteira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.