Para 61% dos americanos, há provas contra o Iraque

Pesquisa Washington Post/ABC News feita após o discurso do secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, indica que cresceu o número de norte-americanos para quem o governo do país apresentou evidências suficientes para justificar o uso da força para derrubar o presidente iraquiano, Saddam Hussein.Para 61% dos entrevistados, o governo do presidente George W. Bush apresentou evidências suficientes para justificar uma ação militar; 34% disseram que as evidências apresentadas até agora não são suficientes.Em pesquisa anterior ao discurso de Powell, feita em 1° de fevereiro, 54% acreditavam haver evidências suficientes e 41% diziam que não.O nível de aprovação à maneira como o governo Bush vem lidando com a questão iraquiana permaneceu inalterado em 61%; o número de pessoas que a desaprovam diminuiu de 35%, em 1º de fevereiro, para 32%, ontem.Indagados sobre se apóiam uma ação militar dos EUA para derrubar Saddam, 67% disseram-se a favor e 17% afirmaram ser contra; em 1º de fevereiro, 66% diziam ser a favor e 18%, contra.Os que disseram-se a favor na pergunta anterior foram indagados sobre se apoiariam uma ação militar mesmo que a ONU se posicionasse contra; 49% disseram-se a favor e 46% contra, de 51% a favor e 46% contra na pesquisa de dia 1º de fevereiro.Sobre se Powell foi convincente ao defender uma ação mulitar, 50% disseram que sim e 19% afirmaram que não. Sobre se Powell apresentou provas irrefutáveis, ou apenas evidências circunstanciais, de que o Iraque tem armas de destruição em massa, 42% disseram que ele apresentou provas e 31%, que as evidências são apenas circunstanciais. Sobre quanto tempo os EUA deverão dar aos inspetores de armamentos da ONU antes de decidir-se por um ataque, 15% responderam "menos do que algumas se manas", 44% "algumas semanas", 10% "alguns meses" e 3% "mais do que alguns meses".Sobre se o mais importante é que os EUA lancem um ataque ao Iraque rapidamente, mesmo sem apoio internacional, ou se é mais importante obter apoio, mesmo que isso provoque uma demora, 41% defenderam uma ação rápida e 55% disseram que o melhor é obter apoio. Foram entrevistados 504 adultos. A margem de erro é de 5 pontos porcentuais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.