Para Bush, socorro a agências hipotecárias é crítico

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse que a histórica intervenção do governo sobre as gigantes hipotecárias Fannie Mae e Freddie Mac é necessária por causa do "risco inaceitável" de que elas não possam mais operar corretamente. A administração Bush anunciou hoje que estava tomando controle das duas instituições para evitar o potencial de uma grande turbulência financeira. O Tesouro norte-americano colocará imediatamente US$ 1 bilhão em cada uma das agências, mas afirmou que poderá aumentar seu investimento para até US$ 100 bilhões em cada uma ao longo do tempo, se os recursos forem necessários para manter as empresas funcionando.Em comunicado, o presidente afirmou que as medidas são temporárias. Ele disse que colocar as duas empresas em condições sólidas é "crítico para a saúde de nosso sistema financeiro". Disse que a medida do governo foi tomada depois que órgãos reguladores federais determinaram que as gigantes hipotecárias "não podem continuar a operar com segurança e solidez". Bush avaliou que tal incerteza trazia um "risco inaceitável para o sistema financeiro e para a nossa economia".Segundo Bush, deixar a situação das empresas piorar ainda mais "poderia causar prejuízos para o nosso mercado hipotecário residencial e poderia enfraquecer outros mercados de crédito que não são diretamente relacionados com o imobiliário". "Os americanos devem ficar confiantes de que as ações tomadas hoje vão fortalecer nossa capacidade de superar a correção do mercado imobiliário", declarou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.