Para Bush, Vietnã é a prova de que EUA devem ficar no Iraque

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, afirmou nesta sexta-feira que a lição que pode ser tirada da Guerra do Vietnã é que o Exército americano "vencerá no Iraque se não abandonar o país". Em declarações à imprensa, após almoçar com o primeiro-ministro australiano, John Howard, em Hanói, Bush afirmou que "todos querem resultados instantâneos, mas no Iraque será preciso esperar. Vai levar um longo tempo até que a esperança, que é a ideologia da liberdade, se imponha à ideologia do ódio", explicou Bush. As comparações entre a Guerra do Vietnã, encerrada há 31 anos e que marcou toda uma geração de americanos, e a do Iraque, é um assunto inevitável para Bush desde que chegou a Hanói para participar da cúpula do Fórum de Cooperação Econômica Ásia Pacífico (Apec). Até o momento, a Casa Branca tinha evitado traçar paralelos entre os dois conflitos. Bush afirmou que "com o tempo, EUA e Vietnã se reconciliaram e passaram por cima de suas diferenças", o que demonstra que os países podem "esquecer seus problemas no passado em prol do bem comum". A reunião com Howard, um dos principais aliados dos EUA no Iraque, é a primeira de uma série de conversas bilaterais na agenda de Bush em Hanói. O tema central deverá ser o programa nuclear da Coréia do Norte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.