Para chamar protesto, grupos misturam rostos de Bolsonaro e Hitler em Santiago

Para chamar protesto, grupos misturam rostos de Bolsonaro e Hitler em Santiago

Protesto contra presidente brasileiro está programado para ocorrer esta noite perto da sede do Executivo chileno

Daniel Weterman e Ricardo Galhardo, enviados especiais a Santiago, O Estado de S.Paulo

22 de março de 2019 | 15h06

SANTIAGO  - Para convocar um protesto contra a presença do presidente Jair Bolsonaro no Chile, grupos e movimentos sociais de esquerda colocaram cartazes em universidades de Santiago com uma caricatura mesclando os rostos de Bolsonaro e do ditador nazista Adolf Hitler.

“Combate ao fascismo”, diz a inscrição dos cartazes colocados em corredores da Universidade Alberto Hurtado.

O protesto contra Bolsonaro está programado para ocorrer às 19h desta sexta-feira, 22, no Paseo Bulnes, uma rua destinada a pedestres no entorno do Palácio de La Moneda, sede do governo chileno.

Nesse horário, a agenda de Bolsonaro em Santiago não prevê nenhum compromisso oficial. No sábado, 23, haverá outro protesto, chamado para as 13h em frente ao La Moneda. Na ocasião, Bolsonaro estará reunido em agenda bilateral com o presidente do Chile, Sebastián Piñera

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.