Para China, ativista paralisado se auto-espancou

Uma investigação das autoridades chinesas chegou à conclusão de que o ativista Fu Xiancai, paralisado após sofrer um grave espancamento, provocou os ferimentos em si mesmo.Fu, que fazia campanhas em favor da população desabrigada pela construção da usina hidrelétrica de Três Gargantas, teria sofrido os ferimentos ao retornar à sua casa após prestar depoimento à polícia da província de Hubei, segundo a organização Human Rights in China (HRIC).Segundo a organização, o espancamento em junho foi tão grave que ele nunca mais poderá andar. Mas a investigação oficial chegou à conclusão de que o ataque foi fabricado.Sem pegadasAs autoridades disseram ao filho do ativista, Fu Bing, que os investigadores não encontraram pegadas de outras pessoas no local do ataque e concluíram que ele teria batido em si mesmo. Segundo a HRIC, os golpes atrás de seu pescoço foram tão fortes que três de suas vértebras foram quebradas.A organização se disse fortemente preocupada com a independência da investigação, feita pelo mesmo departamento da polícia que já tinha um histórico de perseguir Fu.O ativista vinha chamando a atenção para os problemas das pessoas forçadas a deixar suas casas para a construção da barragem para a usina de Três Gargantas.AmeaçasFu havia sido alvo de uma série de ameaças, ataques e perseguições no último ano, segundo a HRIC.O governo chinês diz que a usina, que será a maior do mundo, proverá energia para sua economia em crescimento e ajudará a controlar as enchentes do rio Yangtze.Mas ela vem sendo construída com a destruição de vilarejos, muitos dos quais foram transferidos para outras áreas de qualidade inferior sem compensação pelas autoridades, segundo a HRIC.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.