Jim Watson/AFP
Jim Watson/AFP

'Para curar, devemos nos lembrar', diz Biden em homenagem às vítimas da covid

Presidente eleito e vice, Kamala Harris, discursaram no Lincoln Memorial, em Washington; EUA ultrapassaram marca de 400 mil mortos nesta terça-feira, 19

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de janeiro de 2021 | 20h23

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, voltou a convocar a nação americana a se curar nesta terça-feira, 19, durante discurso em um evento de homenagem às vítimas da covid-19 no país. "Para curar, devemos lembrar", disse o democrata no Lincoln Memorial, em Washington. "Às vezes é difícil lembrar, mas é assim que nos curamos".

Em uma fala que durou cerca de um minuto, Biden fez um chamado coletivo. "É importante fazer isso como uma nação, e é por isso que estamos aqui hoje", afirmou. "Entre o pôr-do sol e o anoitecer, vamos iluminar a escurião e lembrar de todos aqueles que perdemos". 

A vice-presidente eleita Kamala Harris também discursou no evento. "Nos reunimos hoje, uma nação em luto, para homenagear as vidas que perdemos. Uma avó, um avô, que era um mundo inteiro; um pai, um parceiro, um irmão ou um amigo que ainda não conseguimos aceitar que não está mais aqui", disse Kamala. "Por muitos meses, nós enlutamos sozinhos, mas essa noite nós enlutamos e começamos a nos curar juntos", continuou. "Nós, o povo americano, estamos unidos em espírito".

Kamala disse, ainda, orar por uma "nova sabedoria". "Para comemorar momentos simples, para imaginar novas possibilidades, e para abrir nossos corações mais um pouco uns aos outros", disse. 

O evento acontece um dia antes da cerimônia de posse de Biden e Kamala e em um contexto de profunda polarização na sociedade americana, principalmente após extremistas pró-Trump invadirem o Congresso na tentativa de impedir a certificação da vitória democrata.

Os Estados Unidos são o país mais atingido pela pandemia – ultrapassando, nesta terça-feira, a marca de 400 mil mortes em decorrência da doença. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.