André Dusek|Estadão
André Dusek|Estadão

Para Dilma,pacto com Farc é feito histórico

Temer ainda não se manifestou sobre acordo de cessar-fogo e deposição de armas da guerrilha, que aproxima fim do conflito

Carla Araújo , / BRASÍLIA

24 Junho 2016 | 21h34

A presidente afastada Dilma Rousseff usou ontem as redes sociais para comentar o acordo firmado entre o governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

 “É de se festejar o acordo de paz entre governo colombiano e as Farc alcançado ontem (quinta-feira), em Havana. O feito é histórico e está em sintonia com a vocação pacífica dos povos latino-americanos”, disse a petista. “Parabenizo as autoridades e o povo colombiano e reafirmo a amizade do povo brasileiro e o apoio ao acordo de paz”, completou.

O presidente em exercício, Michel Temer, ainda não se manifestou sobre o anúncio. Ontem, em cerimônia no Palácio do Planalto, Temer recebeu a carta credencial do embaixador da Colômbia, Alejandro Borda Rojas.

 

O acordo de cessar-fogo entre o governo colombiano e as Farc e a deposição de armas pela guerrilha foi assinado pelo presidente colombiano, Juan Manuel Santos, e o líder das Farc, Timoleón Jiménez, o “Timochenko”, em Havana - onde ocorreram as negociações de paz dos últimos quatro anos. No acordo também constam garantias de segurança e mecanismos para referendar o acordo final de paz, no principal passo para encerrar o conflito que dura meio século. 

Sobre o cessar-fogo bilateral, o governo e as Farc decidiram elaborar um roteiro que contenha os compromissos mútuos para que em um prazo máximo de 180 dias, a partir da assinatura do acordo final de paz, tenha terminado o processo de abandono das armas. O acordo final, de acordo com o presidente colombiano, será assinado em Bogotá.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.