Para entender

Apesar de ser o quinto maior produtor de petróleo do mundo, o Irã não tem capacidade de refino suficiente para atender às suas necessidades. Por isso, aposta na usina nuclear de Bushehr para obter energia. O governo de Teerã espera que, quando Bushehr estiver operando em uma capacidade de 20 mil megawatts, em 2020, o país exporte mais gás e petróleo. Apesar de o Irã insistir que seu programa de enriquecimento de urânio tem fins pacíficos, o Ocidente teme que ele possa ser usado na fabricação de armas nucleares. Recentemente, o Irã deu sinais de que poderá retomar em setembro as conversações sobre seu programa nuclear com os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU - EUA, Grã-Bretanha, França, Rússia e China - e a Alemanha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.