REUTERS/ Saba Kareem
REUTERS/ Saba Kareem

Para entender o Ramadã

O mês sagrado islâmico é um período de auto purificação, caridade e devoção a Deus

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de maio de 2019 | 05h00

O que é o Ramadã?

Muçulmanos em todo o mundo começaram este ano a celebrar a partir do dia 5 de maio o mês sagrado do Ramadã, durante o qual se abstêm de comer, beber - mesmo água -, fumar, falar palavras obscenas ou manter relações sexuais do amanhecer ao anoitecer. A jornada de trabalho é reduzida durante esse período em consideração ao estado físico dos que estão jejuando.

Por que ele é importante para os muçulmanos?

Segundo a crença, eles fortalecem sua solidariedade e gratidão a Deus ao jejuar em conjunto. O jejum é um dos cinco pilares do Islã, considerado um ato de autopurificação, que leva as pessoas a ter força e paciência e a conhecer a si mesmos. O Ramadã também é um mês de caridade, quando a maioria dos muçulmanos faz o zakat que é uma espécie de doação para os pobres. Ele também é considerado um período especial de devoção a Alah, principalmente por meio das orações e a leitura do Alcorão, o livro sagrado islâmico. 

Quando ocorre o mês sagrado?

O começo do Ramadã, que é o nono mês do calendário islâmico lunar, muda todos os anos e é assinalado pelo aparecimento da lua cheia, mas sua duração, que vai de 29 a 30 dias, nunca é alterada. O Comitê de observação da Lua na Arábia Saudita determina o começo e o final do Ramadã. Frequentemente, os dois principais ramos do Islã, o sunita e o xiita, discordam sobre o momento exato do início do mês, então eles iniciam os ritos em dias diferentes ou com diferença de apenas algumas horas. 

Quando termina o Ramadã? 

Este ano, na maioria dos países muçulmanos, ele terminará em 4 de junho, quando é realizado o Eid al-Fitr, uma festividade que dura três dias e celebra o fim do mês de jejum. Nessa ocasião, os muçulmanos se reúnem para rezar, comer, trocar presentes e ir ao cemitério lembrar os parentes mortos.

O que significa o Ramadã e quando começou?

A origem do termo Ramadã remete à palavra de origem árabe “ramida”, que significa “ser ardente”, pois o jejum é realizado na época mais quente do ano. Ele começou a ser praticado em 610 d.C., quando se acredita que Alah tenha revelado a Maomé os primeiros versos do Alcorão.Segundo os ensinamentos islâmicos, Maomé foi para o deserto, perto da cidade sagrada de Meca, na Arábia Saudita, para pensar sobre sua fé. Uma noite, o arcanjo Gabriel apareceu para dizer que ele tinha sido o escolhido para receber a palavra de Deus. 

O jejum é obrigatório?

Sim, para todos os muçulmanos a partir da adolescência, exceto para pessoas idosas, doentes, grávidas ou para os que estejam viajando nesse período. Os que têm condições devem cumpri-lo em outros dias antes que o ano termine. 

Como funciona o jejum?

O jejum começa antes do amanhecer, geralmente às 4 horas, depois que as pessoas comem uma refeição reforçada, o suhoor, capaz de oferecer energia para o corpo ao longo de todo o dia longe de alimentos. Ele termina ao anoitecer, normalmente às 19h30, após a oração da tarde, quando o muçulmano se reúne com amigos, parentes e vizinhos para a refeição de quebra de jejum, chamada de iftar. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.