Para especialista, EUA terão de revidar

Os Estados Unidos terão de retaliar os atentados ocorridos nesta manhã nas cidades de Nova York e Washington, de acordo com o professor Samuel Feldberg, do Núcleo de Pesquisas Internacionais da Universidade de São Paulo. ?Se não encontrarem provas dos responsáveis pelos atentados, terão de escolher um alvo. Não é politicamente correto, mas isso deverá ocorrer?, disse. Segundo ele, o maior perigo é exatamente este: nenhuma organização assuma a responsabilidade pelos ataques, o que faria do Afeganistão, que é governado pelo movimento islâmico radical Taleban, o principal alvo em potencial. ?A possibilidade de o Afeganistão ser atacado é enorme?, disse Feldberg. Na opinião dele, a retaliação será justificada pelo governo de George W. Bush como resposta ao atentado à soberania americana. ?Se os Estados Unidos não reagirem, será um aviso a todas as organizações terroristas do mundo de que os atentados estão liberados?, disse. O governo americano, de acordo com Feldberg, terá apoio internacional para uma investida contra o responsável ou potencial responsável pelo atentado. Em contrapartida, se o Afeganistão for atacado pelos Estados Unidos, terá apenas apoio de países, como a Líbia ou o Iraque, que se opõem ao governo americano. No caso de retaliação, nem o Afeganistão nem o Iraque têm, segundo o professor da USP, armas nucleares que possam ser usadas. ?O potencial nuclear do Afeganistão é zero. No Iraque, não sobrou nada de significativo?, informou Feldberg.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.