Para especialistas, tema racial ainda é importante e pode prejudicar democrata

A menos de três semanas das eleições, a questão racial paira sobre a campanha. Nem Barack Obama nem John McCain falam abertamente sobre o tema, mas analistas e políticos questionam se a raça terá, de fato, influência no resultado do dia 4.Especialistas indicam que o racismo está muitas vezes mascarado em discussões sobre cultura e religião e, por isso, são difíceis de detectar em pesquisas eleitorais. Segundo estrategistas, esses levantamentos mostram grande apoio a candidatos negros porque alguns eleitores são relutantes em admitir preconceitos aos entrevistadores.Existe uma teoria denominada Efeito Bradley segundo a qual muitos dizem apoiar Obama para não parecer racista. Segundo essa tese, na intimidade das cabines, muitos optarão por McCain, candidato branco.A teoria remonta à eleição para o governo da Califórnia em 1982, quando o prefeito de Los Angeles, Tom Bradley, perdeu para um rival branco apesar de as pesquisas o darem como vencedor. "O fenômeno é uma das interrogações mais importantes que pesam sobre esta eleição", afirmou Carroll Doherty, diretora do centro de pesquisas Pew. "Qual é esse peso, não sabemos. Mas, ainda que seja de 2% ou 4%, pode ser determinante no resultado final."VOTO ANTECIPADOO instituto SurveyUSA começou a divulgar ontem pesquisas com eleitores que votaram antecipadamente. As sondagens mostram Obama com uma vantagem sobre McCain muito maior do que as pesquisas apontam. A maior vantagem é em Iowa, onde 14% já depositaram seu voto e Obama lidera com 34 pontos de vantagem. No Novo México, onde 10% já votaram, Obama lidera com 23 pontos. Em Ohio, 12% já votaram. O democrata tem uma vantagem de 18 pontos entre os que já depositaram seus votos. Na Carolina do Norte, 5% já votaram e Obama está 34 pontos à frente de McCain.Apesar de liderar as pesquisas no Estado da Geórgia por 5 pontos, McCain está 6 pontos atrás de Obama entre os 18% dos eleitores que votaram antecipadamente. É a primeira vez que os democratas dominam o voto antecipado - George W. Bush venceu em 2000 e 2004 com mais de 60% dos votos depositados com antecedência. Para analistas, os números sugerem um grande comparecimento dos democratas na eleição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.