Para EUA, acordo de paz na Colômbia beneficia traficantes

Líderes do narcotráfico se infiltraram nas negociações de paz entre o governo colombiano e grupos paramilitares a fim de obter indulto ou benefícios legais, denunciou o embaixador dos Estados Unidos em Bogotá, William Wood. "Os narcotraficantes não podem gozar dos benefícios", afirmou Wood em entrevista à agência de notícias Colprensa, cuja íntegra foi publicada pelo jornal El Tiempo.Wood acrescentou que o processo de paz tratado entre o governo e os paramilitares deveria ser "uma negociação, e não um indulto". O diplomata manifestou em outra entrevista, desta vez à emissora de rádio RCN, que continua "firme a decisão do governo dos EUA de solicitar a extradição" por narcotráfico de Carlos Castaño e Salvatore Mancuso, os principais chefes das Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC), o maior grupo paramilitar do país.A decisão americana de pedir a extradição desses chefes paramilitares é um dos obstáculos nas negociações para a desmobilização destes combatentes de extrema direita, pois ambos já avisaram que não entregarão as armas se houver a ameaça de prisão. "O que os Estados Unidos não querem é que as conversações de paz impeçam a extradição", assinalou o diplomata.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.