Para EUA, Al-Qaeda e Hezbollah operam no Equador

Terroristas da Al-Qaeda e do Oriente Médio estão operando em uma área próxima da fronteira do Equador com o Peru e a Colômbia e, por este motivo, Quito necessita da ajuda dos EUA para combatê-los, disse hoje o vice-secretário de Defesa norte-americano, Richard Armitage. "Temos na área de tríplice fronteira um pouco de problemas com a Al-Qaeda e alguns elementos do (grupo xiita libanês) Hezbollah", disse Armitage ao subcomitê parlamentar de operações externas. "Precisamos de cooperação", acrescentou.O pedido por uma verba de US$ 27 bilhões feito pelo presidente George W. Bush para despesas emergenciais este ano inclui o Equador em uma lista de 19 países que precisam de ajuda para combater o terrorismo.O deputado republicano Sonny Callahan expressou hoje seu descontentamento com a decisão do Equador de não permitir que os EUA utilizem a base aérea de Manta em sua guerra contra o terrorismo. Os EUA já usaram o local por dois anos para o combate do tráfico de drogas.O ministro das Relações Exteriores do Equador, Heinz Moeller, disse em fevereiro último que o governo de Quito não permitiria o uso da base para o combate ao terrorismo. Por este motivo, Callahan sugeriu hoje que o Equador deveria reverter sua posição antes de receber qualquer ajuda norte-americana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.