Para EUA, armas russas podem deflagrar corrida na AL

Armas russas vendidas recentemente a países latino-americanos poderiam deflagrar uma corrida armamentista na região, advertiu o embaixador dos Estados Unidos em Bogotá, William Brownfield, numa entrevista concedida ao jornal colombiano El Tiempo. "É importante trabalhar com cuidado na introdução de novas armas e sistemas de armas no hemisfério", comentou ele durante a entrevista publicada neste domingo.Brownfield observou que "cada governo, cada país tem o direito soberano de comprar armas no mercado internacional e de equipar suas forças armadas, mas nenhum país vive num espaço vazio". Segundo ele, uma vez que um país se arma, seus vizinhos na região estão "praticamente destinados" a fazer o mesmo. "Nenhum governo no mundo, nem a Rússia, nem o meu, nem a Colômbia, até onde eu sei, tem o interesse de reiniciar uma Guerra Fria nas Américas", concluiu o diplomata norte-americano. As informações são das agências internacionais.

EQUIPE AE, Agencia Estado

02 de novembro de 2008 | 20h04

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaarmasAmérica Latina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.