Para EUA, lançamento de míssil foi 'ato de provocação'

A Casa Branca condenou o lançamento de um foguete de longo alcance pela Coreia do Norte e chamou a medida de "um ato altamente provocativo" que ameaça a segurança regional. O lançamento ocorrido na terça-feira, que pegou o mundo de surpresa, aparentemente colocou um objeto em órbita, afirmou o Comando de Defesa Aeroespacial dos Estados Unidos, mas nenhum míssil ou escombros do lançamento ameaçam uma ameaça à América do Norte.

AE, Agência Estado

12 de dezembro de 2012 | 14h13

"Esta ação é mais um exemplo do padrão de comportamento irresponsável da Coreia do Norte. Os Estados Unidos permanecem vigilantes em razão das provocações norte-coreanas e está totalmente comprometido com a segurança de nossos aliados na região", disse, em comunicado, o porta-voz do Conselho Nacional de Segurança, Tommy Vietor. "Tendo em vista a atual ameaça à segurança regional, os Estados Unidos vão fortalecer e elevar a coordenação com seus aliados e parceiros."

"A comunidade internacional tem de trabalhar de forma concentrada para enviar à Coreia do Norte uma clara mensagem de que violações às resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU) têm consequências", afirmou Vietor.

O Conselho de Segurança planejava realizar uma consulta, a portas fechadas, nesta quarta-feira a respeito do lançamento norte-coreano, segundo a missão do Marrocos na ONU, que detém a presidência rotativa do conselho. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.