Para Evo, greve geral é ?política?

O governo do presidente da Bolívia, Evo Morales, qualificou ontem de "política" a greve geral programada para a próxima terça-feira por seis dos nove departamentos (Estados) bolivianos. O ministro do Interior, Alfredo Rada, afirmou que a paralisação anunciada por Santa Cruz, Beni, Pando, Tarija, Sucre e Cochabamba "abre um conflito político" que "busca desestabilizar o processo de mudança" do país.A greve foi convocada na quinta-feira em defesa da democracia. As entidades protestam contra a decisão de excluir da pauta da Assembléia Constituinte a reivindicação de reinstalar em Sucre, capital oficial do país, a sede do governo. O movimento também é contrário à determinação de se iniciar no Congresso um julgamento de quatro juízes do Tribunal Constitucional do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.