Para financiar ataques, Al-Qaeda entra no crime organizado

Pressionados pela repressão do sistema financeiro internacional a suas fontes tradicionais de recursos, membros da rede terrorista Al-Qaeda e outros grupos radicais voltam-se cada vez mais para atividades criminosas, como pirataria e narcotráfico, a fim de financiar atentados, dizem autoridades à Associated Press.Conforme as células terroristas ganham mais autonomia financeira, entra em questão a idéia de que o extremismo depende de uma sofisticada rede financeira internacional para operar, de acordo com a comissão que investigou os ataques de 11 de setembro de 2001 contra os EUA. Autoridades do Tesouro americano que capitanearam a campanha global contra o financiamento internacional do terror, reconhecem a mudança de modelo e vêem nela um sintoma do sucesso da repressão. ?Os esforços do Tesouro dificultaram e encareceram o financiamento dos grupos terroristas?, disse Molly Millerwise, porta-voz do Departamento.Já foram descobertas ligações entre a Al-Qaeda e suas afiliadas com o tráfico de heroína no Afeganistão, fraude de cartões de crédito na Europa e contrabando de pedras preciosas africanas. A Al-Qaeda e outros grupos também já atuam no lucrativo mercado de bens falsificados, desde cópias de bolsas de grife a CDs piratas, segundo a Interpol.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.