Para Iraque, proposta dos EUA é "declaração de guerra"

Uma nova proposta de resolução apresentada pelos Estados Unidos na ONU sobre inspeções no Iraque é uma "declaração de guerra", afirmou hoje o ministro da Cultura iraquiano, Hamed Yousef Hamadi. A proposta americana está sofrendo sérias resistências por parte da França, China e Rússia.Em visita à Jordânia, Hamadi disse que o presidente dos EUA, George W. Bush, "quer usar as Nações Unidas como uma ferramenta para atacar o Iraque, mas esta ferramenta não tem sido fácil de adquirir. Assim, ele está tentando usar todo tipo de pressão sobre a França, Rússia e China para passar sua decisão".E acrescentou: "Esse esboço não vai ser aprovado nas Nações Unidas, mas os Estados Unidos estão determinados a implementar seu plano, apesar de advertências de dentro e de fora da região, contra sua loucura cega"."Está na hora de pôr fim a esta política cega, porque está ferindo todos os lados, inclusive os Estados Unidos", disse Hamadi a repórteres, durante um encontro de dois dias de ministros da Cultura árabes, que teve início hoje. Para Hamadi, "os detalhes que foram divulgados sobre o esboço são uma clara indicação de que os Estados Unidos pretendem invadir o Iraque com ou sem a resolução do Conselho de Segurança".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.