Para Khamenei, negociações com EUA não são benéficas

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, rejeitou a possibilidade de negociações com os Estados Unidos sobre o programa nuclear iraniano, informou nesta terça-feira a televisão estatal."Negociações com os Estados Unidos não trariam nenhum benefício a nós. Além disso, não precisamos deles", disse Khamenei. Segundo a emissora, a declaração do aiatolá foi feita durante um encontro com o presidente do Senegal, Abdoulaye Wade."Nós não negociamos com ninguém a exploração da tecnologia nuclear, mas se eles reconhecerem nossos direitos, estaremos prontos para negociar os controles, as supervisões e as garantias internacionais", prosseguiu o líder supremo iraniano.Khamenei, que tem a palavra final sobre os assuntos de Estado no Irã, comentou ainda que o Ocidente usaria o processo de negociação somente para pressionar seu país, informou a TV.O porta-voz da Casa Branca, Tony Snow, disse que o governo americano espera uma resposta oficial do negociador nuclear do Irã, Ali Larijani, ao chefe de Política Externa da União Européia, Javier Solana.O Irã recebeu a proposta no dia seis de junho, e o presidente Mahmoud Ahmadinejad disse que não dará a resposta oficial até a metade de agosto. O longo período para a deliberação sugere que haja divisões internas sobre a proposta, que tem como objetivo persuadir o governo iraniano a suspender o enriquecimento de urânio, em troca de incentivos - incluindo uma oferta dos Estados Unidos de prover tecnologias nucleares pacíficas, suspender algumas sanções e engajar-se em negociações diretas com Teerã.Os Estados Unidos e seus aliados suspeitam que o programa de enriquecimento de urânio do Irã é um disfarce para o desenvolvimento de armamentos. Teerã insiste que o programa é limitado a produção de energia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.