Para lembrar

Em agosto de 2007, um cidadão venezuelano foi detido no aeroporto de Buenos Aires quando tentava entrar no país com uma maleta que continha US$ 790 mil não declarados. O portador integrava uma comitiva de emissários vinculados à estatal venezuelana de petróleo PDVSA. Durante a investigação, testemunhas em Miami, nos EUA, informaram que o dinheiro se destinava à campanha eleitoral de Cristina Kirchner, que se elegeria dois meses depois. Os governos argentino e venezuelano negam que estejam envolvidos no caso, que ficou conhecido como "o caso da maleta".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.