Para Lew, ações da Receita Federal foram 'ultrajantes'

O secretário do Tesouro dos EUA, Jacob Lew, disse nesta terça-feira que alguns funcionários da Receita Federal (IRS, na sigla em inglês) usaram "métodos ultrajantes" quando realizaram um "pente-fino" em pedidos de grupos conservadores que buscavam isenção de impostos. "Embora essa conduta não tenha sido politicamente motivada, é inaceitável e imperdoável", comentou ele durante uma audiência do Comitê Bancário do Senado.

Agência Estado

21 de maio de 2013 | 14h32

Lew disse que soube da investigação sobre a conduta dos funcionários da IRS no escritório de Cincinnati durante uma reunião de rotina com o inspetor-geral do órgão, em março, mas não obteve detalhes sobre o assunto. Questionado sobre o que teria feito, ele explicou que preferiu esperar o relatório final. "A prática no Tesouro é que, quando somos notificados de uma investigação do inspetor-geral, você deixa eles fazerem o trabalho, sem atrapalhar", comentou.

O senador republicano Mike Crapo disse que "essas ações nunca deveriam ser toleradas", enquanto seu colega de partido Bob Corker tentou colocar a culpa no presidente Barack Obama, acusando-o de demonizar grupos conservadores. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAreceita federalescândalo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.