Para Liga Árabe, Iraque tornou-se o "portão do inferno"

"Os portões do inferno estão abertos no Iraque", disse o secretário-geral da Liga Árabe, Amr Moussa. Uma declaração divulgada hoje pelos ministros de Relações Exteriores dos países que compõem a Liga critica a ação dos EUA no país, condenando as operações militares e ataques aéreos "contra alvos civis iraquianos em diferentes cidades e aldeias do Iraque que causam a morte de muitos civis inocentes".O texto também denuncia os seqüestros e atentados contra civis e forças iraquianas promovidos por rebeldes.Somente hoje, 70 pessoas foram mortas em atentados terroristas ou combates no Iraque ? 47 na explosão de um carro-bomba em Bagdá; 12 num atentado contra um grupo de policiais em Baqouba; oito em combates em Ramadi. Os EUA informam que três soldados perderam a vida.BlecauteO país sem energia elétrica em razão de dois atos de sabotagem contra oleodutos na região de Kirkuk, ao norte do país, informaram autoridades iraquianas. Rebeldes dinamitaram trechos de dois oleodutos que correm paralelos, perto do Rio Eufrates, perto da refinaria e da hidrelétrica de Baiji. Tanto as exportações de petróleo quanto o fornecimento de energia tiveram de ser interrompidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.