Para Lula, ataque com sapato contra Bush foi 'perigoso'

'Primeiro jogam sapatos, depois podem jogar outras coisas. Isso é muito ruim', diz presidente

Tânia Monteiro e Tiago Décimo, de O Estado de S. Paulo,

16 de dezembro de 2008 | 18h56

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva considerou "complicada" a atitude do jornalista iraquiano que, durante entrevista coletiva, em Bagdá, no domingo, atirou dois sapatos contra o presidente norte-americano, George W. Bush, em protesto contra a invasão de seu país e a manutenção das tropas no Iraque. Nas conversas que manteve com auxiliares próximos, nos últimos dias, o presidente Lula disse: "Isso é perigoso porque, primeiro, jogam um sapato, depois podem jogar outras coisas". "Isso é muito ruim", afirmou.   Veja também:Jornalista confessa ao juiz que queria acertar presidente Blog do Guterman: Quando um sapato é um manifesto político Gesto de repórter iraquiano é retrato do fim da era Bush Assista ao vídeo da AP com incidente   Veja seqüencia de fotos com a sapatada Lula lembrou ainda episódios que ocorreram com muita freqüência há anos, quando integrantes do Confeiteiros sem Fronteiras, grupo famoso por atirar tortas em personalidades públicas, atingiu o deputado petista José Genoino (PT-SP), além de alguns reitores de universidades. O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, também comentou o episódio em uma das coletivas concedidas durante o dia. Ele ironizou a atitude do jornalista, que considerou como resposta às ações dos norte-americanos pelo mundo a fora.   "Os Estados Unidos faziam na OEA (Organização dos Estados Americanos) e na América Latina o que lhes dava vontade. Acabou esse tempo e agora, que vem o novo presidente dos EUA, é propício que os países do sul falem com sua própria voz e peçam respeito do novo governo dos EUA. Já viram o ''sapataço'' que jogaram no Bush?", disse o venezuelano, rindo.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.