Para Lula, Irã não pode ficar 'encurralado e isolado'

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu a sua relação com o Irã, em entrevista realizada ontem à noite em Cancún, no México. Lula disse que está sendo muito criticado por se aproximar do Irã, mas que o objetivo é não manter o país isolado. Lula informou que o Irã é um pais com 80 milhões de habitantes, para o qual o Brasil exporta US$ 1 bilhão e não compra nada. "É um país que o Brasil acha que não pode ficar encurralado e isolado", afirmou.

TÂNIA MONTEIRO, ENVIADA ESPECIAL, Agencia Estado

24 de fevereiro de 2010 | 08h13

Nós queremos construir a possibilidade de ter a paz no mundo e a paz no mundo não significa isolamento de ninguém", disse o presidente brasileiro, acrescentando que "se queremos paz no mundo não podemos deixar ninguém isolado".

Ele comparou as críticas à época que promoveu reuniões de países do Oriente Médio com a América do Sul. "Houve um escândalo. Disseram que nós estávamos fazendo um encontro contra Israel.", afirmou. "Agora que vou ao Irã está virando um escândalo. Vou ao Irã fazer o que? Vou ao Irã negociar com o Irã, vender coisas do Brasil para o Irã e comprar coisas do Irã para o Brasil", justificou o presidente, que visitará o país em maio.

Tudo o que sabemos sobre:
diplomaciaBrasilIrãLulavisita

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.