Para McCain, medida de Bush pode ter feito petróleo cair

O candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, John McCain, disse que a recente queda de US$ 10 no preço do barril de petróleo pode ser creditada ao presidente americano George W. Bush, que retirou a proibição para explorar petróleo nas águas costeiras americanas (exploração ''offshore''), uma ação que ele defende na sua campanha. O preço do petróleo e da gasolina está "na mente de todo o mundo nesta sala," disse McCain em um encontro na prefeitura de Wilkes-Barre, pequena cidade na Pensilvânia. A medida de Bush foi mais simbólica, porque precisa ser aprovada pelo Congresso para entrar em vigor. Ele criticou seu rival democrata Barack Obama, que se põe à exploração de petróleo em áreas costeiras. Há dez dias, Bush retirou a proibição presidencial de 1992 à exploração ''offshore'' de petróleo, e instou o Congresso a aprová-la. A medida de 1992 proibia a exploração por 25 anos. "O preço do barril de petróleo caiu US$ 10," disse McCain. Ele argumenta que a retirada da proibição teve um efeito psicológico sobre os mercados mundiais de energia. McCain disse que o custo do petróleo e do gás é "uma questão energética, uma questão ambiental e uma questão segurança nacional" dos EUA.A Pensilvânia é um dos estados mais importantes na disputa eleitoral americana. Os democratas Al Gore e John Kerry, respectivamente os candidatos do partido em 2000 e 2004, venceram na Pensilvânia, embora tenham perdido no país para Bush. Em abril deste ano, a então pré-candidata democrata Hillary Rodham Clinton derrotou Obama com facilidade na Pensilvânia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.