Para ministro britânico, guerra contra Iraque não é inevitável

Uma guerra contra o Iraque não é inevitável se o presidente Saddam Hussein concordar em readmitir os inspetores de armas das Nações Unidas, disse hoje o secretário do Exterior da Grã-Bretanha, Mike O´Brien, à rede de televisão BBC. O primeiro-ministro britânico, Tony Blair, é visto como o aliado mais forte do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, em uma futura tentativa de derrubar Saddam pela força. No entanto, a oposição a uma guerra parece crescer a cada dia na Grã-Bretanha. Pesquisa divulgada nesta semana mostrou que metade dos britânicos se opõe a uma participação de seu país em uma possível guerra contra o Iraque. Além disso, dezenas de legisladores e líderes de várias religiões já assinaram cartas se opondo a uma ação militar. Segundo O´Brien, uma mudança de regime em Bagdá é desejável, "mas não é o objetivo principal". "O importante é que mantenhamos o foco no retorno dos inspetores (ao Iraque) e que nos asseguremos de que a ameaça das armas de destruição em massa chegou ao fim", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.