AP/David J. Phillip
AP/David J. Phillip

Para muitos, salvar seus animais da inundação foi primordial

Muitos moradores de Houston aguardaram o resgate em suas casas alagadas, mas não quiseram partir sem seus cães e gatos

O Estado de S.Paulo

30 Agosto 2017 | 05h00

HOUSTON - Quando Joe Garcia viu o barco de resgate diante de sua casa alagada em Spring, um subúrbio no norte de Houston, ele levou uma sacola de plástico com alguns de seus pertences e a colocou no barco e voltou para pegar uma de suas coisas mais preciosas: sua cadela pastor alemão Heidi.

Com parte do corpo sob as águas, Garcia carregou Heidi nos braços, fazendo com que a cabeça dela permanecesse seca, e a colocou em segurança num barco de pesca que ajudava jno resgate.

Nos últimos dias, a tempestade tropical Harvey trouxe chuvas torrenciais à área de Houston, paralisando a região e transformando as ruas em rios. Milhares de pessoas fugiram, mas muitas ainda aguardam para serem resgatadas.

Quando as pessoas buscam segurança, normalmente levam algumas roupas e as poucas coisas que podem carregar. Para muitas pessoas isso inclui seus animais. 

Mas nem sempre isso acontece. Muitos animais foram deixados para trás, abandonados nas casas, amarrados às árvores ou deixados com estranhos ou abrigos. E alguns animais, como o gado, eram simplesmente grandes demais para serem retirados antes da chegada do Harvey.

No entanto, Winston e Baxter, um terrier West Highland  e um Shih Tzu, nunca saíram do lado de Belinda Penn. Quando as águas começaram a entrar na casa dela no domingo à tarde, Belinda e o marido, Scott, pegaram os dois cães e os levaram para o segundo andar da casa.

A família ficou acordada e sem comida, mas Winston e Baxter tinham sua ração e suas caminhas no segundo andar. Para Belinda, não importava não ter o que comer, pois ela estava muito nervosa para ter fome.

Aproximadamente às 11 horas de segunda-feira um vizinho disse aos Penns que um bote de resgate estava chegando. Eles  colocaram em um saco de lixo algumas roupas e ração e carregaram os dois cães através da enchente. Na segunda-feira à noite eles chegaram ao apartamento da mãe de Belinda no subúrbio de Woodlands.

"Cada situação é diferente, mas, para nós, não era uma opção deixar nossos animais para trás", disse Belinda. "Eles são nossos melhores amigos." / NYT

 

Mais conteúdo sobre:
furacão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.