Para o Peru, decisão do Chile elimina fonte de discórdia

O chanceler peruano, José Antonio García Belaúnde, disse neste sábado que a decisão do Tribunal Constitucional chileno, nesta sexta-feira, de declarar inconstitucional um projeto de lei que estabelecia uma nova demarcação na fronteira entre os dois países "elimina uma fonte de discórdia".O chefe da diplomacia peruana disse que "é uma boa notícia porque o tribunal chileno atuou com inteligência ao determinar que o artigo era inconstitucional".Em dezembro, o Congresso chileno aprovou a criação da região de Arica-Parinacota, fixando unilateralmente limites marítimos e territoriais com os quais o governo peruano discordava.Para García Belaúnde, a lei "seria uma contradição" com o bom momento das relações entre os dois países desde que osocial-democrata Alan García chegou ao poder, em julho do ano passado."Não devemos buscar culpados. É um momento de dificuldade que foi superado graças à Justiça chilena", opinou.O líder da oposição peruana, o ex-comandante nacionalista Ollanta Humala, acusou neste sábado o governo de García de "fazer um papel ridículo" e de atuar de forma "pusilânime" por aplicar uma política de "beijos e abraços" com o Chile e deixar de lado os assuntos importantes.Os dois países vivem uma disputa territorial desde o fim da Guerra do Pacífico, no fim do século XIX.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.