Para o Vaticano, guerra ao Iraque pode gerar sentimento anticristão

Um "ataque preventivo" dos Estados Unidos contra o Iraque não é autorizado pela Carta da ONU e pode levar a um novo sentimentos anticristão no mundo islâmico, disse o ministro de Relações Exteriores do Vaticano, arcebispo Jean-Louis Tauran. Em entrevista publicada nesta segunda-feira pelo jornal romano La Repubblica, Tauran diz acreditar que devem ser feitos todos os esforços para se evitar a guerra, que poderá ter conseqüências desastrosas, em sua opinião. "Alguém deve pensar nas conseqüências para a população civil e a repercussão no mundo islâmico", comentou Tauran ao jornal italiano. "Uma espécie de cruzada anticristãos ou anti-Ocidente pode ser incitada porque algumas massas ignorantes vêem tudo como uma coisa só." Seus comentários foram a mais recente crítica do Vaticano a uma eventual guerra ao Iraque, país acusado pelos Estados Unidos de manter ilegalmente arsenais de armas de destruição em massa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.