Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Para Obama, diálogo de Lula com Irã é positivo, diz embaixador

Diplomata brasileiro relata conversa de presidentes sobre negociações para resolver questão nuclear iraniana

NALU FERNANDES, Agencia Estado

25 de setembro de 2009 | 14h47

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, conversaram rapidamente esta manhã sobre o Irã, afirmou o embaixador do Brasil nos EUA, Antonio Patriota. "Em essência, ele (Obama) disse que acha bom, ou positivo, que o Brasil converse com o Irã. Ele concordou com a tese do presidente Lula de que não é produtivo isolar o Irã e deixar que fale apenas com um punhado de países", afirmou Patriota, no Centro de Convenções David L. Lawrence, em Pittsburgh, onde acontece o encontro de cúpula do G-20, o grupo das 20 maiores economias do mundo.

Veja também:

lista Conheça os números do poderio militar do Irã

lista Altos e baixos da relação entre Irã e EUA

especialEspecial: O histórico de tensões do Irã

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

especialEspecial: As armas e ambições das potências

O embaixador relatou que o norte-americano sabia que Lula tinha se encontrado em Nova York com o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, e resolveu comunicar para Lula a preocupação sobre uma declaração feita nesta manhã, em Pittsburgh. Hoje, antes do início do encontro de cúpula do G-20, em anúncio conjunto, Obama, o presidente da França, Nicolas Sarkozy, e o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, acusaram o Irã de construir uma usina nuclear secreta.

Segundo o assessor especial da Presidência para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, a iniciativa da conversa partiu do presidente Obama.

Para Patriota, como Obama vê de maneira positiva as conversas entre Brasil e Irã, isso pode significar que os EUA estão tentando "estabelecer canais com os iranianos". Esse pensamento, continua o embaixador, revela uma atitude que pode ser vista como cumprimento ou promessas de campanha do presidente Obama em 2008.

O diplomata cita que os norte-americanos estão dispostos a começar a conversar com o Irã em primeiro de outubro, quando haverá uma "reunião do Irã e dos cinco membros permanentes (do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas - ONU) mais a Alemanha". A reunião, possivelmente, será na Turquia, quando acontece o encontro anual do Fundo Monetário Internacional (FMI), em Istambul.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãObamaLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.