Para ong, 355 pessoas morreram após ataque na Síria

A organização Médicos Sem Fronteiras disse que pelo menos 355 pessoas que apresentaram "sintomas neurotóxicos" morreram após o suposto ataque com armas químicas ocorrido na quarta-feira nas proximidades da capital síria.

Agência Estado

24 de agosto de 2013 | 14h38

O grupo, sediado em Paris, afirmou neste sábado que três hospitais que recebem apoio da organização na região de Damasco relataram ter recebido cerca de 3.600 pacientes que apresentaram tais sintomas em menos de três horas na manhã de quarta-feira.

Há dúvidas sobre quem estaria por trás do suposto ataque com gás contra subúrbios dominados por rebeldes, que segundo ativistas mataram mais de 1.300 pessoas. O ataque deu início a pedidos de investigação independente e trouxe de volta discussões sobre uma potencial ação militar internacional no país caso armas químicas tenham sido realmente usadas.

Ativistas contrários ao governo acusam o governo sírio de ter realizado o ataque com gás tóxico. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
síriaarmas químicaseua

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.