Para ONU, Israel usa fome como arma de guerra

A relator da Organização das Nações Unidas (ONU) para o Direito à Alimentação, Jean Ziegler, afirmou nesta terça-feira que a fome está sendo usada como instrumento de guerra por vários países. No Dia Internacional da Alimentação, Ziegler denunciou que em regiões de conflito, grupos militares estão impedindo o acesso das populações aos alimentos como forma de tentar enfraquecer a resistência contra um regime ou um sistema político. Um dos casos mais graves, segundo Ziegler, é o da Palestina. O relator acusa Israel de estar tentando impedir que os palestinos na Faixa de Gaza e na Cisjordânia tenham acesso ao alimentos e aos campos èara produzir. "Há uma grave violação aos direitos humanos", afirma. Segundo ele, 13,5% das crianças com menos de dez anos na Palestina têm desnutrição aguda e deverão apresentar problemas mentais no futuro. Além disso, somente um terço da população consume a quantidade necessária de proteínas necessária por dia. "A situação da Palestina é equivalente à fome do Chade", explica o relator. Ele conta que já enviou uma carta ao governo de Israel denunciando oficialmente os atos contra os palestinos, o que, pela lei, obrigaria o primeiro-ministro, Ariel Sharon, a tomar medidas para impedir que a violação continue. "Até agora, sequer recebemos uma resposta dos israelenses", afirmou Ziegler. O relator não deixa de acusar também o Fundo Monetário Internacional (FMI), a Organização Mundial do Comércio (OMC), os bancos suíços e a corrupção nos países pobres pela fome que atinge milhões de pessoas em todo o mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.