Para ONU, Oriente Médio tem que ser prioridade de Obama

Os principais envolvidos no processo de paz do Oriente Médio esperam que esse assunto seja uma prioridade no governo de Barack Obama, disse na terça-feira o secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon. Na semana passada, o chamado Quarteto de mediadores do Oriente Médio -- União Européia, Rússia, ONU e EUA -- se reuniu no Egito para tentar manter vivo o diálogo entre israelenses e palestinos, num momento em que a incerteza política em Israel inviabiliza a perspectiva de acordo neste ano. Ban representou a ONU na reunião, junto com a secretária norte-americana de Estado, Condoleezza Rice, o chanceler russo, Sergei Lavrov, e o chefe da política externa da UE, Javier Solana. Essa deve ter sido a última viagem de Rice à região antes da posse de Obama como presidente dos Estados Unidos, em 20 de janeiro. "Esperamos que as negociações continuem ininterruptas durante o próximo período de transição", disse Ban em entrevista coletiva. "E todas as partes estarão esperando que o próximo governo dos EUA se envolva logo, como questão da máxima prioridade", disse ele. "A meta continua clara para todos -- fim do conflito, fim da ocupação, uma solução com dois Estados." Ele acrescentou que o Quarteto "lamenta que um acordo seja improvável (...) até o final deste ano." (Reportagem de Louis Charbonneau)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.