Para oposição venezuelana, visita de Lula é ´inconveniente´

A poucas semanas da realização das eleições presidenciais na Venezuela, a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao país é considerada ?inconveniente? pela oposição venezuelana. Oficialmente, Lula visita a Venezuela para participar da inauguração de uma ponte construída sobre o rio Orinoco e da certificação de um poço petroleiro.Para a oposição, se trata de um apoio político a favor do presidente Hugo Chávez, candidato à reeleição.?Neste momento a presença de Lula é inconveniente. Acredito que essa visita poderá ser manipulada eleitoralmente pelo governo?, disse à BBC Brasil Timoteo Zambrano, diretor de Assuntos Internacionais do candidato de oposição, Manuel Rosales.Zambrano também questiona o fato de que o presidente brasileiro inaugure a obra de uma empresa privada, como é o caso da construtora brasileira Odebrecht, responsável pela construção da ponte.?Não vejo porque ele (Lula) tem que participar de uma inauguração deste tipo, ainda mais nas vésperas das eleições?, questiona. Agenda adiadaMaximilien Arvelaiz, assessor de Assuntos Internacionais do governo, disse à BBC Brasil que o mandatário brasileiro cumprirá uma agenda que já estava prevista, e que no entanto, ?foi adiada devido aos compromissos da campanha eleitoral? do brasileiro.A explicação, no entanto, é rebatida pelo diretor de Assuntos Internacionais do candidato opositor Manuel Rosales.?Se Lula não pode vir antes porque estava em campanha eleitoral no Brasil, vir à Venezuela durante a nossa campanha eleitoral também não é aconselhável?, diz Zambrano. Manuel Rosales é o principal candidato de oposição que disputa as eleições com Hugo Chávez, dia 3 de dezembro. Além da agenda pública de inauguração da ponte sobre o rio Orinoco e da certificação de um poço petroleiro, Chávez e Lula deverão discutir a pauta da próxima Cúpula Sul-Americana de Chefes de Estado, que será realizada na Bolívia em dezembro. ?Os presidentes têm que preparar os temas da Cúpula e conversar sobre os projetos que temos em comum?, afirma Maximilien Arvelaiz. IntegraçãoPara Edgardo Lander, professor de sociologia da Universidade Central da Venezuela, a visita de Lula é ?sem dúvida, uma expressão de apoio político a Chávez?.No entanto, mais do que interferir na política venezuelana, Lander acredita que a presença de Lula indica quais serão as prioridades da política exterior brasileira no segundo mandato.Na avaliação do sociólogo, a ausência do presidente brasileiro na 16ª Cúpula Ibero-Americana de Chefes de Estado, realizada na semana passada no Uruguai, indica que o governo brasileiro pretende priorizar outro tipo de integração. ?No Uruguai vimos uma forte presença do governo espanhol. Estão interessados na economia latinoamericana. Ao não participar da Cúpula, Lula indica que pretende fortalecer a integração no continente para poder disputar de igual para igual com a União Européia?, afirma Lander. Na 16ª Cúpula Ibero-Americana as discussões se centralizaram na contenta entre Argentina e Uruguai pela construção das fábricas de celulose no Rio Uruguai, na divisa entre os países. As negociações foram intermediadas pela Espanha. EUA e EuropaNo entanto, a lógica de fortalecer o Mercosul e a Comunidade Sul Americana de Nações para poder negociar com União Européia e EUA parece não agradar a estes países.?Estados Unidos e União Européia pretendem impedir que seja criado em torno do Brasil um eixo alternativo de negociações. Por isso tratam de dividir os blocos entre o eixo da esquerda responsável e do eixo do mal?, disse Edgardo Lander. Recentemente a Venezuela se integrou à categoria de membro pleno do Mercosul. O presidente Lula tem anunciado a pretensão de ampliar o número de membros para fortalecer o bloco regional. A chegada do presidente brasileiro está prevista para à noite deste domingo. Ele participará dos atos oficiais apenas na segunda-feira. E ainda que governo venezuelano não admita que a presença de Lula representa um apoio político à reeleição de Chávez, o entusiasmo entre os integrantes do governo é evidente. ?É muito importante que a Venezuela seja o primeiro país a ser visitado por Lula depois de sua triunfal vitória nas urnas. Indica que a integração latino americana se aprofundará neste segundo mandato?, afirma Arvelaiz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.