Para os EUA, Bin Laden continua a semear o ódio

O governo dos Estados Unidos considera que o líder da Al Qaeda, Osama Bin Laden, mostrou mais uma vez em sua nova mensagem que deseja apenas "semear o ódio e o caos no Iraque e no mundo muçulmano", e que os terroristas "não oferecem nada em sua ideologia e mensagens, salvo mais conflito".Um porta-voz da Casa Branca disse, sob anonimato, que, se a fita de áudio divulgada no sábado for autêntica, "demonstra que Bin Laden e seu grupo terrorista continuam usando a imprensa para justificar sua visão obscura e a guerra contra a humanidade". A autenticidade da fita ainda não foi confirmada. O líder da Al Qaeda pediu no sábado aos iraquianos que "castiguem" os partidos que participam do processo político.Em um áudio reproduzido pelo canal catariano Al Jazira, o terrorista de origem saudita assegurou que a única forma de expulsar as forças estrangeiras é através da luta.A este respeito, a Casa Branca assegurou que os iraquianos e a comunidade internacional "continuarão explicando a esses inimigos da humanidade que sua visão obscura e atrocidades são intervenções ingratas. Os iraquianos estão abraçando seu futuro e este é de liberdade e prosperidade".O líder da Al Qaeda também disse na fita, a segunda em dois dias, que "os isolados do povo do Islã no Iraque (os sunitas) se expõem ao extermínio nas mãos dos governos de Al-Jaafari e de Al-Maliki".O governo do xiita Al-Jaafari foi o encarregado de elaborar a primeira Constituição após a queda do regime de Saddam Hussein em abril de 20003. Al-Jaafari, assim como o atual chefe de governo, Nouri al-Maliki, pertence à xiita Aliança Iraquiana Unida (AUI), a maior força política do Parlamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.