Para os EUA, Hezbollah recebe dinheiro da América do Sul

O governo dos EUA está tentando ajudar a Argentina, o Brasil e o Paraguai a acabar com o que as autoridades americanas acreditam ser uma operação, de larga escala, para levantar fundos para a guerrilha islâmica do Hezbollah. Isso estaria ocorrendo na região da tríplice fronteira, onde os três países se encontram.Um alto oficial americano delineou as preocupações de seu governo, após uma visita à região feita, nesta semana, por Cofer Black, o novo chefe de contra-terrorismo do Departamento de Estado. Black era o chefe das operação antirerror da CIA.O oficial, pedindo para não ter seu nome revelado, disse a jornalistas que não há evidências de que parte do dinheiro esteja sendo coletado especificamente para a Al-Qaeda. Mas citou informes de que um mapa da área havia sido encontrado em um refúgio da rede de Osama bin Laden no Afeganistão.O oficial disse que os EUA têm um programa de US$ 1 milhão para ajudar a treinar autoridades dos três países sul-americanos para identificar transferências de fundos por parte dos grupos envolvidos. O dinheiro seria levantado junto à comunidade de ascendência árabe, com muitos imigrantes do Líbano e da Síria, que vive na região. Às vezes, disse o americano, os fundos são solicitados em nome de causas válidas, e depois desviados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.